Talvez você não conheça Carlos Zéfiro, cartunista brasileiro que desenhava quadrinhos de sacanagem na década de 1970. Dava um trabalho danado conseguir uma revistinha – e muita punição se o diretor da escola descobrisse. Depois vieram as revistas pornôs suecas, que mostravam tudinho das mulheres daquele país e abriram caminho para o mercado pornográfico no Brasil. Hoje há uma infinidade de sacanagem, de todos os tipos, para todos os gostos, disponível nas bancas de jornal e na internet. Veja como aproveitar as imagens sem prejudicar sua vida sexual real.

1. Saiba praticar o que vê
Acho, sim, que os filmes pornográficos podem nos ensinar muita coisa. Desde que tipo de prática sexual nos excita até posições sexuais diferentes, manejos para sexo oral etc. Mas não se esqueça de que em filme erótico há cortes e edição – e muita coisa que acontece por trás (sem trocadilhos) você não sabe. Então, se aquela moça consegue fazer sexo oral enquanto ainda rola uma dupla penetração, não ache que a menina com quem você sai será capaz. Ou que, mais difícil ainda, ela vá gostar disso. Lembre-se de que no filme a cena durou menos de 1 minuto, a moça foi “preparada” para receber aquilo tudo e que é paga para fazer cara feliz. Na hora de tentar o sexo anal, por exemplo, não chegue chegando que você vai se dar mal.

2. Crie uma sacanagem particular
Embora as mulheres com seios fartos, coxas levemente roliças e bundas redondinhas que usam espartilho de látex nos filmes de sacanagem sejam apetitosas, nada mais excitante do que se deliciar com a sua mulher de carne e osso fazendo cara de quero-mais de verdade. Portanto, que tal vocês protagonizarem umas cenas eróticas para assistir depois? Ou, quem sabe, um ensaio fotográfico supersensual, sendo ela a modelo e você o fotógrafo? Muitíssimo cuidado, porém, para não deixar vazar as fotos ou o filme pela internet, nem deixar à mão das crianças e de visitas da casa. Já imaginou juntar a galera para assistir ao vídeo do nascimento do Joãozinho e trocar os DVDs?

3. Não fique mal-acostumado
Muito mais fácil se excitar com imagens do que somente com a força do seu pensamento. Nada de novo no mundo. No entanto, um alerta (um  tanto polêmico): homens que se excitam e se masturbam várias vezes por semana com o estímulo da pornografia podem se acostumar tanto com o estímulo e o ritmo a ponto de ficar sem paciência – e até achar sem graça uma relação sexual com uma reles mortal. Tente também variar as práticas sexuais a que assiste para não se aprisionar somente com um estímulo.